Aliar o eno e o agroturismo no Vila Galé Douro Vineyards

As atuais tendências do Turismo valorizam a procura de novas experiências, permitindo ao visitante envolver-se na dinâmica da vida local, a exemplo de conhecer uma adega e participar numa prova de vinhos ou meter mãos à obra numa vindima, no caso de a viagem passar por uma região vínica. Promove-se, desta forma, para turistas e viajantes que procuram os roteiros do Património natural e histórico, um conhecimento das diversas regiões do País e um enriquecimento cultural e pessoal ímpares.

Resultado de uma parceria entre o Grupo Vila Galé e o Grupo Madre, através da Xvinus, o Vila Galé Douro Vineyards consiste numa unidade hoteleira de excelência que alia eno e agroturismo, em resposta a essa procura, graças à localização privilegiada e aos equipamentos de que dispõe. Situado na margem sul do Douro, no concelho de Armamar, em plena vinha junto ao Tedo, afluente do primeiro, beneficia de um enquadramento paisagístico único.

A unidade foi reabilitada, ao longo de duas fases, a partir de um conjunto de edifícios da centenária Quinta do Val Moreira, adquirida pela Xvinus em 2018, após o que foi requalificada para enoturismo. A propriedade dispõe de 23 hectares de produção de vinhos do Porto e vinhos do Douro, dois hectares de olival e outros dois de amendoal. Conquistou o estatuto de referência a nível nacional nos vinhos e no azeite, com o lançamento da marca Val Moreira.

O processo de reabilitação deste hotel de grande exclusividade, bom gosto e requinte, que decorreu ao longo de vários anos, ficou concluído em 2020. A unidade hoteleira contou inicialmente com sete quartos, após o que foram criados mais 42 quartos e suites, e inclui um restaurante e bar panorâmico, terraço, adega e piscina exterior.

Graças a este perfil distintivo, propõe aos hóspedes um conjunto de atividades que permitem conhecer melhor o seu entorno e a dinâmica local, fortemente ancorada na riquíssima tradição patrimonial e vínica da região, tais como visitas guiadas à adega. A localização proporciona ainda aos visitantes mais ativos o acesso aos passeios fluviais e ao roteiro das quintas vínicas da região. Por outro lado, ao promover a vertente do agroturismo, o hotel complementa a oferta de vinhos com as especialidades gastronómicas da região, de que as receitas de cabrito e porco em forno de lenha são exemplo.

Da vertente patrimonial da zona envolvente, proporcionada pela localização, destacam-se os dois marcos pombalinos, um deles nas proximidades da Quinta do Val Moreira, classificados como imóveis de interesse público. Segundo a empresa, os dois marcos foram mandados construir pelo Marquês de Pombal, em 1757, e «serviam para demarcar a zona dos vinhos generosos do Douro, colocada sob a jurisdição da Companhia Geral da Agricultura das Vinhas Douro». Segundo a mesma fonte, criou-se assim a primeira região demarcada de vinhos do mundo, «facto histórico que muito orgulha os durienses».